A Arte de Construir um Amor

Conviver em harmonia é o desejo de todos os casais, mas a dificuldade em alcançar esse objetivo mostra que essa não é uma tarefa simples.

São vários os fatores que promovem a construção dessa harmonia. O primeiro deles e o mais importante é “compreender e ser compreendido”.

É fundamental que o amor da sua vida te compreenda, certo?

E o amor da sua vida, obviamente, também pensa assim.  

Para isso é necessário cultivar diálogos sinceros, com os corações abertos.

Não tenha inibições em mostrar seus sentimentos.

Falem com calma sobre o que pensam e como se sentem.  Quanto mais diversificados forem os assuntos, melhor. E isso não é só no início do namoro, é ao longo de toda a vida, porque vamos mudando com o tempo e se você não sinaliza essa mudança o outro vai ficar desatualizado sobre você e não vai te compreender.

Compreender também é se colocar no lugar do outro e perceber que experiências anteriores diferentes das suas influem num comportamento diferente do seu.

Sempre existirão as diferenças e conhecer, aceitar e colocar limites onde devam ser colocados, de comum acordo, traz segurança no relacionamento.

Mais importante do que se interessar pelo passado do parceiro é se interessar pelo que ele quer do futuro e isso também é uma forma de compreender.  

Você sabe o que você quer, mas saber onde os planos do seu parceiro se encaixam com os seus planos é fundamental para os acordos que vocês farão para a boa convivência.  Na maioria dos casos esses acordos são implícitos e muitos casais não os identificam. É importante que eles estejam perfeitamente definidos, assim se evitam conflitos que só acontecem quando há falta de clareza nos acordos.

 

O amor se constrói e o coaching de relacionamentos pode ajudar nessa construção, trabalhando a escolha do futuro desejado com planejamento e colocando, com serenidade, um tijolo de cada vez.

Se não souber por onde começar, peça ajuda. Um profissional experiente pode contribuir na sua construção de um relacionamento saudável e harmonioso. 

 

Quer isso para a sua vida?   Vá em frente.   Você merece!

Queimando Lixo 

Não permita que coisas sujas do passado poluam o seu presente.

Depois de lacrar um saco de lixo você o reabre para rever o que há lá dentro?

Geralmente só remexemos o lixo se algo de valioso tiver sido perdido. Isso, porque lidamos com a hipótese de o termos lançado fora sem querer.  Se não é esse o caso, o que tiver ido para o lixo nós não mais veremos e sequer lembraremos de tudo que está ensacado e pronto para sair de nossa casa.

Se esse saco ficar conosco ainda por alguns dias, e nós o reabrirmos por qualquer motivo, o cheiro estará insuportável, micróbios existirão aos montes e nossa saúde poderá estar sendo severamente ameaçada. O mesmo acontece quando guardamos e remexemos tudo o que de ruim já passou por nossa vida.

Sempre que deixamos que nossa mente se perca em más lembranças, nós estamos reabrindo um “saco de lixo”.

É bem provável que esteja aí a causa de muitas doenças físicas e mentais.

Volte um pouquinho seus pensamentos para aqueles que já lhe fizeram algum mal e veja como você se sente. Reveja as mágoas, os ressentimentos, as raivas, os desapontamentos, as desilusões, as decepções e pense no “cheiro” que tudo isso tem.

É assim que você remexe os lixos guardados dentro de si.

Há quanto tempo eles estão guardados aí?

Por quanto tempo você ainda os guardará?

Pergunte-se: Para quê me serve toda essa sujeira? Observe honestamente a resposta.

Sujeira atrai mais sujeira, lixo atrai mais lixo, lembranças nocivas atraem miséria material, física e espiritual.

É isso que você deseja para si mesmo?

Coloque seus pés no limpo chão do presente: ele é o caminho para um limpo e feliz futuro.

Agarre-se às suas metas, busque realizar os seus sonhos, guarde os tesouros já recebidos.

Você só merece ser feliz.

Por uma vida mais digna, por um futuro melhor, jogue o que é lixo no lixo.

E QUEIME O LIXO !

Pesquisa mostra que Terapia de Casal funciona

Desacreditada por alguns, a terapia de casal funciona, sim. Ao menos é o que mostra a maior pesquisa clínica já feita sobre o tema.

 

Psicólogos da Universidade da Califórnia, nos EUA, atenderam 134 casais em crise profunda durante um ano.

 

Depois de 26 sessões, dois terços dos relacionamentos ficaram bem melhores.